sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Fenômeno

Uma linguagem radical
Onde as folhas desprezam o talo
A musica sabota o guitarrista
E o gato adquire um amigo

Um idioma neoniilista
Sem comadres
Ladrões e cães ociosos

Canoas correrão rio abaixo
A grande queda
A luta física
Madeira e rocha

Ele percorre em cinco minutos a desfigurada e oblíqua avenida. O pouco necessário em resumidos passos. O leve cheiro de moveis envelhecidos, um gosto rústico e a cor extraviada do sol. Nem cigarros, nem portas abertas, rodas velozes, arrepios, lagrimas, beleza, não faz dele um sujeito ou coisa.      

Lucas F. L.

2 comentários:

  1. Olá!!
    Vi seu blog na comunidade da Clarice Lispector e gostei muito do formato e dos assuntos.
    Vou virar seguidor.
    Um beijão e oparabéns pelo trabalho.
    Eduardo
    (http://edurjedu.blogspot.com)

    ResponderExcluir
  2. Ah,você comentou sobre a minha escrita.
    Eu adoro a sua. hehehe
    Meio que me dá uma certa inspiração as vezes.
    Gosto muito...cada vez melhor
    ;*

    ResponderExcluir